Autor: Adriano Brandão

capa-podcast-s04e150

#150

Quatro anos, cinco temporadas e 150 episódios! Quem diria? Para comemorar, resolvemos homenagear as seções extintas do podcast, criando um episódio só com elas. Sim, não há tema no podcast de número 150! Os protagonistas aqui são os coadjuvantes das temporadas passadas: os rankings do High Five, os duelos do Telecatch, os assuntos aleatórios do Debate de Bolso e as cartinhas dos queridos ouvintes. Cartinhas? Cartinhas, cartinhas!

YT-capa-final

#6: Jennifer Capriati Tennis

Pois o melhor video game de tênis de sua geração foi um título razoavelmente desconhecido para Mega Drive, que usa o nome de uma tenista hoje meio esquecida: estamos falando de “Jennifer Capriati Tennis”, um jogo aparentemente simples que, por trás de gráficos dignos de Master System, esconde uma jogabilidade muito sofisticada – e muito próxima do esporte real. Você já ouviu falar? Não? Então venha ver a gente jogar.

capa-podcast-s04e149

#149: Meu teflon

Sabe aquela coisa de que todo mundo gosta mas que por algum motivo não gruda em você de jeito nenhum? Decidimos profanar vacas sagradas e listar nossos “teflons” video gamísticos: que jogos unanimemente incensados não fazem nossas cabeças? Há motivos, fora birra e hipsterismo? E… por que esses jogos se tornaram vacas sagradas, para início de conversa?

maxresdefault

#5: Maniac Mansion

Um adventure point-and-click de estrutura aberta, com pouca história, puzzles cruéis que podem encerrar o jogo precocemente, diversas possibilidades de final e um senso de humor adulto, muito pecular… no Nintendinho? Pois Maniac Mansion fez tanto sucesso nos computadores que acabou sendo portado para o console caseiro do momento – não sem muitas concessões e censuras. O resultado é estranho e fascinante. Vamos encarar?