#12: Tabu

capa-podcast-s01e12

Adriano Brandão

Acredita que nenhum jogo da história será melhor que Battletoads. Empreendedor, especialista em publicidade online, gosta de tecnologias novas e jogos antigos, não sabe exatamente em que ordem. No Twitter, atende por @adrianosbr. Mas não tente quando o São Paulo estiver jogando.

Você também vai gostar de...

  • Luã Milanês

    Adriano e Danilo, descobri o Pouco Pixel há uma semana e achei excelente. Tenho 22 anos e desde que me entendo por gente jogo videogame. Meu pai trabalhou por muito tempo com locadora e eu tive uma lan house, sou um privilegiado rsrs
    Tô curtindo demais tudo o que vocês vem fazendo. Parabéns pela qualidade do conteúdo. Trabalho muito bem feito mesmo. Sucesso sempre!

    Ps: Desculpem não comentar nada relacionado ao tema desse cast, porque tô baixando agora pra ouvir (mas baixei e escutei todos os outros) e já tenho certeza que vai ser interessante.
    Abraço!

  • DenisBotana

    Sempre achei que o que mais assustava os adultos em relação aos games violentos era ver os filhos como as pessoas que apertavam o gatilho. Não era o Stallone atirando, era seu filho mirando na cabeça de alguém e apertando o botão para matar. Para uma geração que não tinha a experiência de jogar video game deve ter sido perturbador.

    Sobre o atirador do cinema do Shopping Morumbi, o filme que estava passando era “Clube da Luta”, não “Matrix”. Assim como o Duke Nukem, o filme também sofreu ataques pela sua “violência gratuita” na época.

  • Rodrigo Pillotto

    Infelizmente o que não falta são casos em que assimilam tragédias, com games.
    Aqui no Brasil teve recentemente lá o caso do menino que supostamente matou a tiros a família toda, botaram a culpa no Assassin’s Creed, simplesmente pq tem assassinos no nome(!).

    O cara que entrou no cinema foi na seção do Clube da Luta, outro filme que tbm teve ataques quanto a sua violência.

    Quanto ao debate de bolso, eu como o Danilo, tenho meus receios de liberar geral assim, acho que o impacto causado na sociedade. Como o exemplo do álcool, embora haja uma campanha educativa, e até multas bem pesadas, não faltam casos de gente que enche a cara e depois mata pessoas inocentes. Creio que com as outras drogas mais pesadas, pode ocorrer o mesmo.
    Tem que ter um bom estudo pra pesar bem o que vai fazer mais estrago, a atual política de combate ao tráfico ou a liberação geral.

  • adrianosbr

    Obrigado, @rodrigopillotto:disqus e @DenisBotana:disqus! Foi mesmo “Clube da luta”. Incluímos a groselha no post.

  • http://www.cinematicos.com.br Edgar Santos

    Opa! Mais outro bom episódio.

    OBS: os meninos de Columbine que assistiram Matrix. Na época ouvia muito Marilyn Manson e jogava RPG, então imaginem o quanto sofri.

  • http://www.meucerebrodoi.org/ Paulo Torres

    Sobre os filmes da Bandeirantes nas noites de sexta: inicialmente era uma sessão chamada “Sexta Sexy”. Isso lá por 1993, quando o canal transmitia um único jogo da NBA semanal, exatamente em seguida a esse filme! E havia outras sessões temáticas na grade de programação, filmes de artes marciais nas terças (acho que era a “Sessão Força Total”), bangue-bangue nas noites de quinta…

    Os filmes eram muitas vezes comédias adolescentes picantes, coisas como “Deu a Louca no Campus”, “Procura-se Rapaz Virgem” (esse, um filme de vampiros com o Jim Carrey pré-fama), “A Revanche das Colegiais” e o SENSACIONAL “Almôndegas 3 – Trabalho Duro”. Sinopse: atriz pornô morre e, para entrar no paraíso, precisa voltar como fantasma e ajudar um adolescente tímido/nerd a perder a virgindade. (Olha o nível do trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Q-UMmd1ZhQI ) Foi assunto pra mais de mês nas aulas de educação física da minha oitava série.

    Aos pouquinhos os filmes dessa sessão foram ficando cada vez mais softcore e cada vez menos comédias adolescentes, até que o nome da sessão se tornou “Cine Privê”, com Emanuelles e afins ocupando a grade da Band. (E a NBA já tinha deixado de ser transmitida pelo canal.)

  • http://www.pwn3ed.net Gradash

    Só vim a conhecer o cast de vocês agora, e gostaria de contribuir a discussão sobre o dano das drogas, para quem não sabe o Ópio (pai da Cocaína) já foi uma droga lícida (inclusive em algum momento todas já foram), o Ópio passou a ser proibido pois ele levou a China quase a destruição, como é uma droga extremamente viciante (assim como qualquer droga), as pessoas passaram a usa-la indiscriminadamente, mortes por overdose se tornaram comuns, pessoas matando para conseguir mais droga pois perderam tudo também se tornou comum. A China caiu uma era negra, muitos perguntam por que a China não cresceu descontroladamente durante a era das trevas onde o ocidente estava preso a uma politica teísta contra qualquer tipo de avanço enquanto eles (a China) não tinha este “problema”, o motivo foi esta crise do Ópio.

    Guerras e tudo de pior aconteceu por causa do Ópio, acham mesmo que tornar a Cocaína, Crack, Eroina entre outras drogas devastadoras livres em 100% uma boa ideia? Eu acho que não é tão boa assim pois olhar para o passado sempre é melhor que achar que as coisas melhoram como um passe de mágica.

  • http://nilw.deviantart.com/gallery/ Teikerize

    O mundo não está preparado para uma pessoa com o nível evolutivo de ter empatia por legumes e afins. Volte daqui a duzentos anos. Obrigado.
    Ótima discussão. o/
    Vou lá fuçar o debate de bolso também 😀